Ir para conteúdo

PARANAVAÍ – Vigilância notificou mais de 4.200 casos suspeitos de dengue em 2019

multa dengue

A diretoria da Vigilância em Saúde de Paranavaí divulgou nesta terça-feira (14) o fechamento dos números de dengue na cidade em 2019. De 1º de janeiro a 31 de dezembro, foram feitas 4.249 notificações de casos suspeitos da doença no município. No total, 1.505 pessoas tiveram o diagnóstico confirmado de dengue clássica. Outras 613 pessoas ainda aguardam o resultado dos exames.

“O mês de dezembro foi o mais crônico. Foram 1.014 notificações, a maioria feita na última quinzena do mês. Destes mais de mil casos, só conseguimos descartar 157 e positivar 257. Ainda temos 600 exames aguardando resultado, só referente às notificações do mês de dezembro. Se estes exames forem positivados, vamos ter fechado 2019 com mais de 2 mil casos de dengue confirmados em Paranavaí. A situação é crítica”, aponta a diretora da Vigilância em Saúde, Keila Stelato.

Para a Vigilância, o último ano já é um indicador de uma possível nova epidemia em 2020. “É só comparar os números. Em dezembro inteiro tivemos 1.014 notificações, o que já é um número muito alto. Na semana passada, fizemos um levantamento e só nos oito primeiros dias de janeiro, 734 pessoas foram diagnosticadas com suspeita de dengue nos postos de saúde, na UPA e na Casa da Dengue, montada na UBS Central. E o fluxo de não para. Todos os dias são mais de 100 pessoas procurando atendimento médico com sintomas de dengue”, frisa Keila.

Os números de 2019 também são 562% maiores que os registrados no ano anterior. Durante todo o ano de 2018 o município registrou 642 notificações de suspeita de dengue e teve apenas 39 casos confirmados.

“Felizmente, não tivemos nenhum óbito relacionado à dengue no ano passado. Agora no mês de janeiro já temos conhecimento de duas mortes relacionadas à doença na nossa região, uma em Santa Izabel do Ivaí e outra em Rondon. Isso mostra que a situação está realmente crítica. O que nós pedimos é que as pessoas façam o mínimo, que é limpar seus quintais e eliminar os materiais que possam acumular água parada. Se a população não despertar para a gravidade do problema e fizer sua parte, nós vamos acabar repetindo aquela situação de surto de 2013”, finaliza a diretora da Vigilância em Saúde.

FONTE SECOM/PMPVAÍ

lanofusco Ver tudo

Nasci em Nova Esperança-Pr. no dia 12/10/57, Meu primeiro diploma foi de datilografia com 12 anos de idade o que me possibilitou trabalhar em Cartório de Registro Civil, e escritório de contabilidade após terminar o segundo grau onde fiz curso de técnico em contabilidade. Com 17 anos, após uma concorrida seletiva, iniciei como locutor na Rádio Sociedade de Nova Esperança. Aos 20 anos trabalhei na Televisão Cultura de Maringá, logo em seguida passei no concurso do Banco do Brasil onde fiquei por sete anos e voltei aos meios de comunicação trabalhando em várias emissoras de Paranavaí, em Nova Londrina, Maringá e Curitiba. Agora, resolvi fazer esse site com intuito de ser mais participativo nas informações de interesse de todos brasileiros e brasileiras. Diante de tantos nomes e meios de comunicação existentes, não foi fácil decidir o nome para o site, tive que viajar com o pensamento no futuro e imaginar uma pessoa perguntando a outra: onde você viu essa notícia? e a resposta será Lá no Fusco. Espero que gostem desse meu novo trabalho. Conto com seus acessos, dicas e sugestões. Abraços do sempre amigo Edson Fusco

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: