Ir para conteúdo

Municípios em epidemia estão sem inseticida para o fumacê

A falta do produto é nacional. O último repasse feito ao Paraná foi em junho. São sete cidades do estado em epidemia da doença.

mosquito da dengue
Imagem Ilustrativa/EBC

Por Carina Bernardino 

Player OUÇA A REPORTAGEM

O Paraná tem 1.234 casos positivos de dengue e mais de 10 mil notificações da doença, segundo o novo boletim epidemiológico divulgado pela Sesa (Secretaria Estadual de Saúde). Em relação ao informativo anterior, são 205 novas confirmações e houve aumento de municípios em situação de epidemia. Eram cinco na semana passada e agora são sete. Deste total, três cidades estão localizadas na região noroeste: Santa Isabel do Ivaí, Floraí e Uniflor. Em Santa Isabel do Ivaí, foram 93 casos de dengue confirmados nesta semana. A situação de epidemia é definida quando o município registra, proporcionalmente, 300 ou mais casos de dengue por 100 mil habitantes. A CBN ligou na prefeitura da cidade para saber quais ações o município irá fazer para combater a doença e descobriu que o fumacê não será utilizado no combate ao mosquito Aedes Aegypti por falta de inseticida. No Paraná, o repasse pelo Ministério da Saúde não ocorre desde junho. O técnico Ronaldo Trevisan, da coordenadoria de Divisão de Vigilância Ambiental da Sesa, explica que o desabastecimento do produto é nacional.

Do total de casos positivos no Paraná, 898 são autóctones, de pessoas que foram infectadas nas cidades onde residem. Ou seja, o combate a dengue nas residências deve ser intensificado.

Por nota, o Ministério da Saúde informou que está regularizando o repasse do novo inseticida adquirido para fazer o fumacê nos estados de Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte, Piauí e Rio de Janeiro. O repasse será de 105.600 mil litros do produto. Outros lotes devem ser liberados gradativamente para os demais estados desabastecidos até janeiro de 2020, incluindo o Paraná. O órgão também ressaltou que o inseticida para o fumacê é a última estratégia utilizada no enfrentamento ao mosquito Aedes Aegypti no país.

FONTE CBN MARINGÁ

Categorias

SAÚDE

lanofusco Ver tudo

Nasci em Nova Esperança-Pr. no dia 12/10/57, Meu primeiro diploma foi de datilografia com 12 anos de idade o que me possibilitou trabalhar em Cartório de Registro Civil, e escritório de contabilidade após terminar o segundo grau onde fiz curso de técnico em contabilidade. Com 17 anos, após uma concorrida seletiva, iniciei como locutor na Rádio Sociedade de Nova Esperança. Aos 20 anos trabalhei na Televisão Cultura de Maringá, logo em seguida passei no concurso do Banco do Brasil onde fiquei por sete anos e voltei aos meios de comunicação trabalhando em várias emissoras de Paranavaí, em Nova Londrina, Maringá e Curitiba. Agora, resolvi fazer esse site com intuito de ser mais participativo nas informações de interesse de todos brasileiros e brasileiras. Diante de tantos nomes e meios de comunicação existentes, não foi fácil decidir o nome para o site, tive que viajar com o pensamento no futuro e imaginar uma pessoa perguntando a outra: onde você viu essa notícia? e a resposta será Lá no Fusco. Espero que gostem desse meu novo trabalho. Conto com seus acessos, dicas e sugestões. Abraços do sempre amigo Edson Fusco

Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: